O ano era 1928, quando o médico patologista Georgios Nikolaou Papanikolaou apresentou os resultados de seus primeiros testes de esfregaço cervical a comunidade científica,  mudando para sempre o curso da triagem de saúde reprodutiva feminina e dos protocolos de prevenção de câncer . Através de suas lentes Papanikolau mudou o cenário da assistência médica feminina, foi e estudando a determinação do sexo em porquinhos da índia ele descobriu que algumas células da vagina e do útero se alteravam ao longo do ciclo menstrual.  Curioso para saber se as mesmas mudanças poderiam ser observadas em humanos, ele realizou os mesmos exames em sua esposa e em várias amigas, coletando amostras de células da abertura externa do colo do útero de cada mulher em teste.

Depois de retirar algumas células do cole do útero, Papanikolaou espalhou as amostras em uma lâmina de vidro e as examinou ao microscópio. uma das amostras de uma amiga era composta de células cancerígenas mutantes e malignas.

Em 1928, Papanikolaou apresentou os resultados em uma conferência médica, um ano depois que um cientista romeno chamado Aurel Babes havia demonstrado uma técnica semelhante. Mas como Papanikolaou implementou o método primeiro e introduziu uma maneira única de aplicar as células as lâminas, ele é considerado o responsável pela inovação.

Trabalhadores da área médica relutaram em em aceitar as ideias modernas de Papanikolaou – devido ao ceticismo generalizado, e levou uma década para que um ensaio clínico fosse realizado no Hospital de Nova York. Os resultados do estudo, no entanto, eram inegáveis: Papanikolaou foi capaz de detectar um número significativo de cânceres precoces com seu método e, em 1952, o primeiro programa de rastreamento em massa foi  lançado no Tennessee (773 de 10.000 mulheres foram diagnosticadas com câncer graças ao teste).

O exame de Papanicolaou é um dos exames mais importantes quando o assunto é saúde da mulher pode ser realizado com base nas evidências científicas disponíveis, a cada 3 anos para mulheres de 21 a 65 anos.

A realização do exame citopatológico de Papanicolaou tem sido reconhecida mundialmente como uma estratégia segura e eficiente para a detecção precoce do câncer do colo do útero na população feminina e tem modificado efetivamente as taxas de incidência e mortalidade por este câncer.

câncer do colo do útero,  tem início a partir de uma lesão pré-invasiva (fase inicial), curável em até 100% dos casos (anormalidades epiteliais conhecidas como displasia e carcinoma in situ ou diferentes graus de neoplasia intra epitelial cervical [NIC]), que normalmente progride lentamente, por anos, antes de atingir o estágio invasor da doença, quando a cura se torna mais difícil, quando não impossível.

Durante o teste que é rápido e simples, um profissional de saúde médico ou enfermeira, insere delicadamente um espéculo na vagina para manter as paredes vaginais afastadas e expor o colo do útero. Após o afastamento das paredes vaginais, usa-se uma escova macia e um dispositivo de raspagem plano para coleta de células cervicais sem dor. Todo o procedimento é concluído em minutos, mas o impacto pode ser profundo: o teste é a única maneira de detectar alterações das células cervicais que podem indicar o desenvolvimento de um câncer futuro no útero. De acordo estudos mulheres com câncer de colo do útero diagnosticadas pelo exame de Papanicolaou tiveram uma taxa de cura de 92%, enquanto as diagnosticadas apenas pelos sintomas tiveram uma taxa de cura de apenas 66%.

Para garantir um resultado correto, a mulher não deve ter relações sexuais (mesmo com camisinha) nos dois dias anteriores ao exame, evitar também o uso de duchas, medicamentos vaginais e anticoncepcionais locais nas 48 horas anteriores à realização do exame. É importante também que não esteja menstruada, porque a presença de sangue pode alterar o resultado.

Mulheres grávidas também podem se submeter ao exame, sem prejuízo para sua saúde ou a do bebê.

Embora tenha levado anos para a comunidade médica aceitar o trabalho inovador de Papanikolaou, sua contribuição para a medicina (e as contribuições de sua esposa e amigos) continua afetando a vida dos pacientes e de seus entes queridos até hoje.

Fonte:

https://health.howstuffworks.com/sexual-health/female-reproductive-system/georgios-papanikolaou-pap-smear.htm

http://www.saude.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=238

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *