A arterite temporal, conhecida como arterite de células gigantes, é uma forma de vasculite ou inflamação dos vasos sanguíneos. Envolve um inchaço e espessamento do revestimento da artéria sob a pele na têmpora ou na lateral da cabeça.

É uma condição auto-imune que acontece por causa de uma reação defeituosa do sistema imunológico, quando o sistema imunológico ataca células saudáveis ​​por engano.

É denominada de arterite de células gigantes (ACG) porque foi identificado  que pode afetar não apenas as artérias temporais, mas outros  vasos sanguíneos incluindo a aorta torácica e seus ramos, na cabeça e no pescoço.

O termo “célula gigante” é usado porque biópsias de artérias temporais inflamadas, vistas ao microscópio, mostram células aumentadas.

Esta doença é conhecida desde o século X. Outros nomes incluem arterite craniana e doença de Horton.

Os sintomas incluem dor de cabeça persistente. Sem tratamento, pode levar à perda permanente da visão. Sua ocorrência se inicia geralmente após os 50 anos. As chances de desenvolver a doença aumentam com a idade.  É mais frequente em mulheres do que em homens.

Sintomas

Dor de cabeça persistente e distúrbios visuais podem ser sintomas de arterite temporal.

O sintoma principal é  uma dor de cabeça intensa, persistente e possivelmente latejante, geralmente na lateral ou na frente da cabeça.

Duas em cada três pessoas com essa condição terão dor de cabeça.

Outros sintomas incluem:

  • Dor na região dos lábios,  especialmente afetando a mandíbula, que pode ser sentida ao comer
  • Dor na língua, garganta ou rosto
  • Dor ou inchaço no topo da cabeça ou couro cabeludo
  • Visão embaçada ou dupla

Uma sensação de gripe, com perda de apetite, perda de peso, sudorese, febre e mal estar também podem estra presentas.

Qualquer pessoa que apresente esses sintomas deve consultar um médico para diagnóstico e tratamento. Se ocorrerem problemas de visão, é necessária ajuda médica imediata.

Complicações

A complicação mais grave é a perda de visão, que pode ocorrer repentinamente e ser permanente.

Isso pode acontecer se a vasculite afetar uma artéria que fornece um olho, causando danos ao nervo óptico.

Os sinais de distúrbios visuais incluem:

  • Visão turva ou dupla
  • Pontos cegos
  • Pálpebra caída

Breves períodos de perda total da visão em um olho podem ser seguidos por perda total e permanente da visão.

A perda de visão afeta 14% à 20% das pessoas com ACG. Antes da introdução dos corticosteroides, a taxa era de 30 a 60 por cento.

Se o tratamento para GCA for iniciado antes de qualquer efeito na visão, o risco de cegueira ocorrer mais tarde é reduzido para 1% ou menos.

  • Cinquenta e oito por cento experimentam melhorias visuais se o tratamento for iniciado dentro de 24 horas
  • Seis por cento experimentam melhorias se o tratamento começar “depois de um atraso”.

Também é importante monitorar e manter a visão no olho não afetado.

Diagnóstico

É importante consultar um médico com quaisquer sintomas que possam indicar ACG.

Um médico avaliará os sintomas que descritos, fará perguntas e explorará outras possibilidades.  Se a ACG uma suspeita, o tratamento deve começar imediatamente.

Os testes que podem ser usados ​​para diagnosticar esta condição incluem:

  • Exames de sangue para avaliar a velocidade de hemossedimentação
  • Ultra -som para verificar anormalidades nas artérias temporais
  • Biópsia da parede da artéria, realizada sob anestesia local, para avaliar a inflamação da artéria

O tratamento pode começar antes dos resultados de uma biópsia, devido ao risco de perda de visão.

Tratamento

O tratamento normalmente começará imediatamente, possivelmente antes que os resultados da biópsia sejam confirmados, para reduzir o risco de complicações. A pessoa pode precisar consultar um médico especialista.

Os corticosteroides em altas doses têm sido o tratamento padrão desde a década de 1950, mas recentemente outro medicamento foi aprovado o Actemra.

Corticosteroides

Estes evitam complicações como a perda de visão. A recomendação é iniciar o tratamento imediata e agressivamente”.

A dose é geralmente de 40 à 60 mg de prednisona (como Orasone ou Deltasone) por dia durante cerca de um mês. Os sintomas devem melhorar rapidamente após o início do tratamento.

As pessoas que apresentam sintomas visuais terão a dose mais alta.

Após um mês, a dose diminui gradualmente. Eventualmente, o portador pode utilizar de 5 à 10 mg por dia de acordo com orientação médica durante vários meses.

O tratamento deve começar rapidamente para evitar a deterioração da visão.

Actemra (tocilizumabe)

Em 2017, outro medicamento, Actemra (tocilizumab), foi aprovado para tratar essa condição.

É administrado em forma de injeção. Actemra é um antagonista do receptor de interleucina-6 (IL-6) que também é usado para tratar artrite reumatoide.  Afeta o sistema imunológico.

Os efeitos colaterais incluem:

  • Alterações na composição do sangue
  • Um risco maior de desenvolver certos tipos de câncer
  • Possíveis reações alérgicas
  • Complicações do sistema nervoso

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *