Atualmente, as pessoas podem esperar viver mais do que nunca, uma vez que ao chegar aos 65 anos, os dados sugerem que as pessoas possam viver mais 19,3 anos, em média, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC).

Assim, os idosos têm que aprender a lidar com doenças e situações crônicas, comuns com o passar do tempo, a fim de se manterem saudáveis.

Fazer escolhas de vida saudáveis, como parar de fumar e perder peso, pode ajudar a evitar riscos para a saúde da terceira idade, embora “você também precise ser fisicamente ativo e adquirir uma dieta saudável”, explica Jeanne Wei, MD, PhD, diretor-executivo do Instituto Reynolds sobre Envelhecimento na Universidade de Arkansas.

1. Artrite

“A artrite é, provavelmente, a condição número 1 que as pessoas com 65 anos ou mais tem que lidar”, diz a geriatra Marie Bernard, MD, vice-diretora do Instituto Nacional sobre Envelhecimento, em Bethesda, Maryland. O CDC estima que artrite afeta 49,7% de todos os adultos com mais de 65 anos e pode levar à dor e menor qualidade de vida para estes indivíduos.

Embora a artrite possa desencorajá-lo de ser ativo, é importante trabalhar com seu médico para desenvolver um plano de atividade personalizado que, juntamente, com outro tratamento, possa ajudar a manter a sua saúde.

2. Doença cardíaca

De acordo com o CDC, a doença cardíaca continua sendo a principal causa de morte de adultos com mais de 65 anos de idade, sendo responsável por 489.722 mortes em 2014.

Como condição crônica, doença cardíaca afeta 37% dos homens e 26% das mulheres com 65 anos ou mais, de acordo com a Interagency Federal Fórum sobre Estatísticas relacionadas ao Envelhecimento.

Com o passar da idade, desenvolvem-se os fatores de risco, tais como pressão arterial e colesterol altos, que aumentam as chances de ter um acidente vascular cerebral ou desenvolvimento de doença cardíaca.

O conselho do Dr. Bernard para lidar com esse risco para a saúde não só ajuda com as doenças cardíacas, como também pode melhorar a saúde das pessoas maduras em todos os níveis: “Exercício, comer bem, ter uma boa noite de descanso. Comer bem significa comer de uma forma que lhe permitirá manter um peso saudável com uma dieta equilibrada e saudável.”

3. Câncer

O câncer é a segunda principal causa de morte entre as pessoas com mais de 65 anos, com 413.885 mortes em 2014, de acordo com o CDC.

O CDC também relata que 28% dos homens e 21% das mulheres com mais de 65 anos estão vivendo com câncer.

Se detectada precocemente através de exames, tais como mamografias, colonoscopias e verificações de pele, muitos tipos de câncer são tratáveis.

E, embora nem sempre seja capaz de preveni-lo, você pode melhorar sua qualidade de vida a partir do momento que o adquire, inclusive durante o tratamento, trabalhando com sua equipe médica e manutenção de suas recomendações residenciais para manter a sua saúde.

4. Doenças respiratórias

As doenças crônicas das vias respiratórias, como a doença pulmonar obstrutiva crónica (DPOC), são a terceira causa mais comum de morte entre as pessoas com 65 anos ou mais, com 124.693 mortes em 2014, de acordo com o CDC.

Entre pessoas com 65 anos ou mais, cerca de 10% dos homens e 13% das mulheres estão vivendo com asma, e 10% dos homens e 11% das mulheres estão vivendo com bronquite crônica ou enfisema, de acordo com a Interagency Forum Federal sobre estatísticas relacionadas com o envelhecimento.

Apesar da doença respiratória aumentar os riscos na saúde das pessoas maduras, tornando-o mais vulnerável a pneumonia e outras infecções, se estes indivíduos fizerem acompanhamento médico, tomarem a medicação ou o oxigênio de forma correta, irão preservar a sua saúde e qualidade de vida.

5. Doença de Alzheimer

A doença de Alzheimer foi responsável por 92.604 mortes de pessoas com mais de 65 anos de idade em 2014, de acordo com o CDC.

A Associação de Alzheimer relata que cerca de 11% das pessoas com 65 anos ou mais têm a doença de Alzheimer. Este fato se dá porque o diagnóstico é um desafio, é difícil saber exatamente quantas pessoas vivem com esta condição crônica.

Ainda assim, os especialistas reconhecem que a deficiência cognitiva tem um impacto significativo sobre a saúde em todo o seu âmbito, desde questões de segurança ao custo de cuidados, seja em casa ou em uma instalação residencial.

6. Osteoporose

“A osteoporose pode contribuir para que o individuo tenha dificuldades de locomoção e sofra quedas, fazendo com que aconteça uma fratura”, disse Bernard.

A Fundação Nacional de Osteoporose estima que 54 milhões de americanos com mais de 50 anos de idade são afetadas por osteoporose, colocando-os em risco de uma fratura ou ruptura que poderia levar a problemas de saúde e redução da qualidade de vida. Além do mais, eles estimam que até o ano 2020 esse número aumentará para 64,4 milhões.

7. Diabetes

O CDC estima que 25% das pessoas com idades entre 65 anos ou mais estão vivendo com diabetes, sendo um risco significativo para a saúde.

De acordo com dados do CDC, a diabetes causou 54.161 mortes entre adultos com mais de 65 anos de idade em 2014.

Diabetes pode ser identificada e tratada precocemente com exames de sangue simples para verificar os níveis de açúcar no sangue. Quanto mais cedo você souber que tem ou está em risco de diabetes, mais cedo você pode começar a fazer mudanças para controlar a doença e melhorar sua perspectiva de saúde de longo prazo.

8. Influenza e Pneumonia

Embora a gripe e pneumonia não sejam condições crônicas, essas infecções estão entre os oito principais causas de morte em pessoas com mais de 65 anos, de acordo com o CDC.

Os idosos são mais vulneráveis ​​a essas doenças e menos capazes de combatê-los.

As recomendações de saúde incluem a utilização de uma vacina contra a gripe anual e utilizar, também, a vacina contra pneumonia, se recomendado pelo seu médico, para evitar essas infecções e suas complicações na saúde.

9. Quedas

O risco de quedas que exigem cuidados aumentam com o passar dos anos.

Cada ano, 2,5 milhões de pessoas com idades entre 65 anos ou mais são tratados nos serviços de emergência por causa de quedas, de acordo com o CDC.

Isso é mais do que qualquer outro grupo etário. E, um terço das pessoas que vão para a sala de emergência devido a uma queda podem encontrar-se novamente dentro de um ano, de acordo com um estudo publicado em agosto de 2015, no American Journal of Emergency Medicine.

Também, devemos estar cientes de que a maioria das quedas ocorrem em casa, onde os riscos de tropeçar incluem tapetes e pisos de banheiro escorregadios, de acordo com um estudo publicado em janeiro de 2013 no Journal of Injury and Violence Research.

10. Abuso de Substâncias

Uma análise dos dados da Pesquisa Nacional Epidemiológica sobre o álcool e drogas sugere que 1 em cada 5 pessoas com mais de 65 anos teve um problema com o abuso de drogas ou de álcool em algum momento de suas vidas.

O álcool e o tabaco encabeçaram a lista de substâncias utilizadas abusivamente pelos participantes da pesquisa.

Abuso de álcool e drogas é uma preocupação para a saúde dos idosos por causa das possíveis interações com medicamentos de prescrição, seu impacto sobre a saúde geral, e os riscos mais elevados de saúde na terceira idade, como quedas, associado com intoxicação.

11. Obesidade

A obesidade é um importante fator de risco para a saúde dos idosos para doenças cardíacas, diabetes e câncer (todas condições crônicas que diminuem a qualidade de vida).

À medida que os números na escala aumentam, o mesmo acontece com o risco de doença.

Dos pacientes adultos, entre 65 e 74 anos, 36,2% dos homens e 40,7% das mulheres são obesos, o que significa que o seu índice de massa corporal é maior ou igual a 30, de acordo com o CDC.

Também pode ser um sinal de que o idoso não seja tão ativo ou móvel como era anteriormente.

12. Depressão

De acordo com a Associação Americana de Psicologia, de 15 a 20% dos americanos com mais de 65 anos sofrem de depressão.

Uma ameaça para a saúde, a depressão pode diminuir a imunidade e pode comprometer a capacidade de uma pessoa para combater infecções.

Além do tratamento com medicação e terapia, outras maneiras de melhorar a qualidade de vida são a prática de atividade física e aumentar a interação social.

Entretanto, os idosos relatam estarem gastando apenas 8 a 11% do seu tempo livre com a família e amigos, de acordo com o Fórum Interagências Federal sobre o Envelhecimento-Estatísticas relacionadas.

13. Saúde bucal

Dentes e gengivas saudáveis ​​são importantes não apenas para um sorriso bonito e facilitação na mastigação, mas também para a saúde geral.

De acordo com o CDC, 25% dos adultos com mais de 65 anos não têm dentes naturais.

A medida que o individuo envelhece, a boca tende a tornar-se seca e as cavidades orais dificultam os cuidados médicos apropriados. Os exames dentais regulares devem ser uma prioridade para a saúde bucal nos idosos, segundo Dr. Wei.

14. Pobreza

Em 2013, 45% dos adultos com idades entre 65 anos ou mais tiveram rendimentos abaixo do nível de pobreza, de acordo com um relatório de 2015 da Kaiser Family Foundation.

Este número leva em conta os recursos financeiros disponíveis, como impostos, benefícios como vale-refeição, despesas médicas, despesas de habitação, entre outros fatores.

As mulheres mais velhas são ligeiramente mais propensas do que os homens a viver na pobreza, e essa lacuna aumenta mais a partir dos 80 anos.

Os idosos solteiros também têm uma probabilidade significativamente maior de viverem sozinhos com menos recursos.

A pobreza afeta a saúde do idosos se o indivíduo não puder pagar visitas ao médico, medicação para doenças crônicas e outras necessidades essenciais de saúde.

15. Herpes-Zoster

Lembra-se do ataque de catapora que teve quando criança? Este ataque pode voltar como Herpes-Zoster, quando você for um adulto.

De acordo com os Institutos Nacionais de Saúde, 1 em cada 3 pessoas com mais de 60 anos terá herpes-zoster, e 50% de todos os americanos vai experimentá-lo antes que eles alcancem os 80 anos.

O herpes-zoster, geralmente, afeta apenas um lado do seu corpo, começando com dor severa ou formigamento e, em seguida, desenvolve uma erupção pruriginosa e, possivelmente, bolhas.

Existe uma vacina disponível, então fale com o seu médico sobre o assunto.

Fonte:
http://www.everydayhealth.com/news/most-common-health-concerns-seniors/

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *