A prática de atividade física pode ajudar a manter em equilíbrio a saúde do coração.

A doença cardíaca, é a principal causa de morte para homens e mulheres nos em países desenvolvidos, sendo responsável por 1 em cada 4 mortes.

Idosos com mais de 65 anos, têm maior probabilidade do que indivíduos mais jovens de apresentar doenças cardíacas devido ao processo de envelhecimento. A doença cardíaca afeta a capacidade funcional de milhões de idosos impedindo-os de serem ativos e terem qualidade de vida.

Um novo estudo, confirmou os benefícios do exercício para a manutenção da saúde física e mental, independentemente da idade.

De acordo com este estudo, os idosos podem se beneficiar mais com esta prática, o mesmo foi publicado no Canadian Journal of Cardiology ,  e afirmou que os idosos tem mais benefícios físicos e psicológicos com programas de reabilitação do que indivíduos mais jovens.

O exercício regular,  pode desacelerar o coração, reduzir a pressão arterial,  aliviar o estresse,  elevar a autoestima e melhorar a oxigenação do sangue, além de ajudar a perder peso (a obesidade pode sobrecarregar o coração), A atividade física promove uma recuperação mais rápida e, em alguns casos reduz a necessidade de medicamentos em idosos que apresentaram problemas cardíacos.

Quanto mais idoso for um indivíduo, maior o risco de complicações e perda da condição física após um distúrbio cardíaco. Como resultado, o idoso tem muito mais a ganhar com a atividade física.

De acordo com pesquisadores, o envelhecimento está associado a vários fatores, como o aumento do risco de processos inflamatórios e estresse oxidativo, o que predispõem a doenças cardiovasculares. Como resultado, os idosos são na maioria das vezes mais vulneráveis às doenças cardíacas.

Este estudo teve como objetivo comparar as respostas de idosos de diferentes idades a um programa de reabilitação cardíaca. O que diferencia esta pesquisa de outros estudos é o foco nos benefícios físicos e psicológicos do exercício para pessoas com mais de 65 anos.

Pesquisadores da Faculdade de Ciências do Esporte da Universidade de Burgundy Franche-Comté em Dijon, França, examinaram 733 pessoas que receberam um encaminhamento para um programa de reabilitação cardíaca de 25 sessões na Clinique Le Rosiers em Dijon por um período de quase 3 anos.

A equipe dividiu os participantes em três grupos de acordo com a idade: indivíduos com menos de 65 anos, 65 a 79 anos e 80 anos ou mais. Todos os participantes foram avaliados, tanto física quanto psicologicamente, quanto a problemas como ansiedade e depressão.

Os cientistas descobriram que, embora todos os participantes tenham melhorado em semanas – não apenas sua capacidade física, mas também psicológica – foram os idosos mais velhos, que tiveram maiores benefícios com a prática da atividade física após uma doença cardíaca.

Os exercícios, também se mostraram particularmente benéficos, para aqueles com mais de 65 anos apresentavam sintomas de depressão.

Os pesquisadores esperam, que o relatório incentive os profissionais de saúde a reconhecer os benefícios da prática de atividade física e estimular os idosos a frequentar programas de reabilitação que proponham este tipo de atividade.

Fonte:

https://www.onlinecjc.ca/article/S0828-282X(19)30389-7/fulltext

Créditos de imagem:

<a href=’https://www.freepik.com/photos/people’>People photo created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *