Os planos de começar uma dieta e perder peso, só serão efetivos, se  forem feitos alterações a longo prazo com mudanças nos hábitos alimentares.  Portanto, em vez de seguirmos uma dieta restritiva que pode ser difícil de manter, é melhor revisar os hábitos alimentares, para que seja possível não apenas perder peso, mas também mantê-lo saudável a longo prazo. Para facilitar o controle do peso, é importante fazer mudanças no comportamento alimentar e na prática de atividade física. Aqui estão algumas dicas para fazer isso:

  • Construa uma base saudável de alimentos e faça escolhas sensatas.
  • Escolha uma variedade saudável de alimentos que inclua legumes, frutas, grãos (especialmente grãos integrais), leite desnatado, peixes, carne magra, aves ou feijão.
  • Escolha alimentos com pouca gordura e açúcares.
  • Dê preferência ao consumo de vegetais, frutas e grãos, pois esses alimentos ajudam na sensação de saciedade e controlam o peso.
  • Qualquer que seja a comida sirva-se de uma porção sensata. Não coma com os olhos.
  • Tente ser mais ativo ao longo do dia.
  • Tente fazer pelo menos 45 minutos de atividade física moderada diariamente – Na quarentena é difícil, mas quem sabe andar dentro de casa, pular corda, dançar, se tem quintal fica mais fácil.
  • Com o tempo, mesmo uma pequena diminuição nas calorias ingeridas e um pequeno aumento na atividade física podem impedir o ganho de peso..

Quais são os benefícios da perda de peso?

O excesso de peso está associado a vários riscos à saúde como a obesidade (geralmente definida como um índice de massa corporal ou IMC acima de 30). Alguns dos riscos à saúde associados ao sobrepeso são:

  • Diabetes tipo II e resistência insulina: ocorre quando o pâncreas precisa produzir uma quantidade crescente de insulina para permitir que a glicose entre nas células e seja usada como combustível. Como as células adiposas são mais resistentes à insulina do que as células musculares, as pessoas com excesso de peso tendem a produzir mais insulina para manter os níveis de glicose no sangue estáveis. Uma vez que o pâncreas não consegue mais atender a essa demanda crescente, os níveis de glicose no sangue aumentam, levando ao diabetes Tipo II.
  • Câncer: a obesidade tem sido associada a um risco aumentado de desenvolver certos tipos de câncer, incluindo câncer de cólon, próstata, endométrio, vesícula biliar, entre outros.
  • Outros agravos associados a obesidade são: Hipertensão, osteoartrite, apneia do sono, gota, cálculos biliares, estresse, varizes, refluxo gastroesofágico.

A redução de peso e a manutenção de um peso corporal normal podem diminuir muitos desses riscos.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/background”>Background photo created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *