O sistema imunológico é essencial para sobrevivência humana. Sem um sistema imunológico, não teríamos defesa para combater microrganismos como, vírus, bactérias fungos e muito mais. É o sistema imunológico que nos mantém saudáveis ​​à medida que entramos em contato com os mais diversos agentes causadores de doenças.

Esta vasta rede de células, que compões o sistema imunológico está constantemente à procura de invasores, e uma vez que um inimigo é avistado, um ataque complexo é montado.

O sistema imunológico está espalhado por todo o corpo e envolve diversos tipos de células, órgãos, e tecidos. Este sistema tem o poder de distinguir qualquer corpo estranho presente em nosso organismo. Células mortas e defeituosas também são reconhecidas e eliminadas pelo sistema imunológico. O sistema imunológico é composto pelos seguintes elementos:

Glóbulos brancos

Os glóbulos brancos também chamados de leucócitos. Circulam no corpo em vasos sanguíneos e vasos linfáticos paralelos às veias e artérias.

Os glóbulos brancos estão em vigilância constante em busca de patógenos. Quando encontram um alvo, começam a se multiplicar e enviam sinais para outros tipos de células para fazer o mesmo.

Os glóbulos brancos são armazenados em diferentes locais do corpo, que são os órgãos linfoides, que são compostos por:

  • Timo– uma glândula que fica entre os pulmões, logo abaixo do pescoço.
  • Baço– um órgão que filtra o sangue, situado no canto superior esquerdo do abdômen.
  • Medula óssea– encontrada no interior dos ossos e que também produz glóbulos vermelhos.
  • Linfonodos –pequenas glândulas posicionadas em todo o corpo, ligadas por vasos linfáticos.

Existem dois tipos principais de leucócitos:

  1. Fagócitos

São que células envolvem e absorvem os patógenos e os decompõem, efetivamente devorando-os. E se apresenta como:

  • Neutrófilos– são os tipos mais comuns de fagócitos e tendem a atacar as bactérias.
  • Monócitos– São células grandes que permanecem no sangue cerca de 8 horas e sai em direção aos tecidos onde evolui dando origem ao macrófago. Tem como funções: a remoção de células mortas, senescentes, estranhas ou alteradas, remoção de partículas estranhas, destruição de micro-organismos e células tumorais, e, principalmente, participar da imunidade humoral e celular como célula que apresenta antígenos aos linfócitos T.
  • Macrófagos– vigiam os elementos patógenos e  removem células mortas e moribundas.
  • Os mastócitos– ajudam para curar feridas e defender-se contra patógenos.
  1. Linfócitos

Os linfócitos ajudam o corpo a recordar dos invasores que já atacaram o organismo anteriormente e os reconhecem se voltarem a atacar novamente.

Os linfócitos são produzidos na medula óssea . Alguns permanecem na medula e se desenvolvem em linfócitos B (células B), outros se dirigem para o timo e se tornam linfócitos T (células T). Esses dois tipos de células possuem diferentes funções:

  • Linfócitos B– produzem anticorpos e ajudam a alertar os linfócitos T.
  • Linfócitos T– destroem células doentes no corpo e ajudam a alertar outros leucócitos.

Como funciona uma resposta imunológica

O sistema imunológico, precisa ser capaz de distinguir os invasores, detectando proteínas que são encontradas na superfície de todas as células. Aprende a ignorar suas próprias proteínas em um estágio inicial.

Antígeno é qualquer substância que possa desencadear uma resposta imune.

Em muitos casos, um antígeno é uma bactéria, fungo, vírus, toxina ou corpo estranho. Mas também pode nossas próprias células defeituosas ou mortas. Inicialmente, uma variedade de tipos de células trabalha em conjunto para reconhecer o antígeno como um invasor.

O papel dos linfócitos B

Uma vez que os linfócitos B detectam o antígeno, eles começam a secretar anticorpos (antígeno é a abreviação de “geradores de anticorpos”). Anticorpos são proteínas especiais que se ligam a antígenos específicos.

Cada célula B produz um anticorpo específico. Por exemplo, pode-se fazer um anticorpo contra as bactérias que causam a pneumonia , e outro que  pode reconhecer o vírus do resfriado comum.

Anticorpos fazem parte de uma família de substâncias químicas chamadas imunoglobulinas, que desempenham muitos papéis na resposta imune:

  • Imunoglobulina G (IgG)– marca os microorganismos para que outras células possam reconhecê-los e lidar com eles.
  • IgM– é especialista em matar bactérias.
  • IgA– encontra-se em fluidos, como lágrimas e saliva, onde protege os portais do corpo.
  • IgE– protege contra parasitas e é também responsável por alergias.
  • IgD– se liga aos linfócitos B, ajudando-os a iniciar a resposta imune.

Os anticorpos bloqueiam o antígeno, mas não o matam, apenas o marcam para a morte. A destruição é o trabalho de outras células, como os fagócitos.

O papel dos linfócitos T

Existem diferentes tipos de linfócitos T:

Células T auxiliares (células Th) – elas coordenam a resposta imune. Alguns se comunicam com outras células e outros estimulam os linfócitos  B a produzir mais anticorpos. Podem também atrair linfócitos T ou fagócitos que destroem células doentes.

Células T ou serial killers (linfócitos T citotóxicos) – como o nome sugere, essas células T atacam outras células. Eles são particularmente úteis para combater vírus. Trabalham reconhecendo pequenas partes do vírus do lado de fora das células infectadas e destruindo as células infectadas.

Créditos de imagem:

<a href=”https://br.freepik.com/fotos-vetores-gratis/fundo”>Fundo foto criado por kjpargeter – br.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *