Pessoas que foram diagnosticadas com Alzheimer podem na verdade ter outro tipo de demência que foi recentemente descoberta,  e os sintomas desta nova doença, é muito semelhante ao Alzheimer, mas é  causado por outro mecanismo no cérebro.

Recentemente, os cientistas reconheceram a encefalopatia TDP-43,  relacionada à idade, como uma nova forma de demência. Este tipo de demência age no sistema límbico.

Os pesquisadores descreveram um novo tipo de demência, batizado LATE (sigla do nome científico – encefalopatia TDP-43 límbico-predominante relacionada com a idade”) que aparentemente é tão habitual quando o Alzheimer nas pessoas com mais de 80 anos.

Os especialistas sugerem que o impacto na saúde pública do LATE em pessoas com mais de 80 anos pode ser igual ou maior do que o da doença de Alzheimer.

Em um relatório que foi apresentado na revista Brain (cérebro) os pesquisadores propõe a primeira definição de LATE e recomendam diretrizes para aqueles que estão preocupados com o diagnóstico e aprofundamento no estudo desta doença.

Richard J. Hodes, MD, diretor do Instituto Nacional do Envelhecimento (NIA), que faz parte do NIH, diz que, embora os pesquisadores da doença de Alzheimer venham fazendo progresso sobre novas descobertas acerca da mesma, ainda há muitos questionamentos, entre veles:  “Quando ocorre a doença de Alzheimer? Como a doença de Alzheimer atinge idoso mais velhos? O novo relatório explica que, embora o LATE tenha características clínicas da doença de Alzheimer, testes post mortem revelaram que o LATE afeta o tecido cerebral de maneira diferente.

Uma das principais diferenças diz respeito a uma proteína chamada proteína de ligação ao DNA de resposta transativa a 43 kDa (TDP-43).

O papel do TDP-43 nas células é ligar e desligar genes para várias funções.  Pesquisas recentes revelaram foi encontrada acúmulo de proteína  TDP-43 em indivíduos muito idosos.

Quando o TDP-43 se acumula, ele começa a afetar a capacidade da pessoa de se lembrar e pensar. Cerca de 25% das pessoas com mais de 85 anos têm dificuldades de raciocínio e memória devido ao TDP-43 acumulado.

Estudos também têm implicado o acúmulo de TDP-43 em outras doenças cerebrais mais incomuns, como a esclerose lateral amiotrófica  e um tipo de demência chamada degeneração lobar frontotemporal.

Outra diferença entre o LATE e a doença de Alzheimer é que a presença de acúmulo de TDP-43 geralmente ocorre com a esclerose hipocampal, uma condição que leva a perda de tecido no hipocampo.

O hipocampo é o local onde se localiza a memória e a aprendizagem, e as pessoas com esclerose hipocampal podem apresentar sintomas de perda de memória e comprometimento do pensamento semelhantes aos da doença de Alzheimer.

De acordo com os pesquisadoreso LATE prejudica vários aspectos da memória, do aprendizado e do pensamento para enfraquecer a capacidade de uma pessoa de realizar atividades cotidianas.

Os especialistas acreditam que o declinei cognitivo não progride tão rapidamente quanto a doença de Alzheimer. No entanto, sugerem que quando o LATE se combina com a doença de Alzheimer, o declínio é provavelmente mais rápido do que o de qualquer uma das condições isoladas

O relatório também destaca a necessidade de autópsias de rotina para avaliar e classificar o LATE. Os especialistas recomendam o seguinte estadiamento, dependendo de onde uma autópsia localiza o TDP-43 no cérebro:

  • Estágio 1: o TDP-43 está presente apenas na amígdala.
  • Estágio 2: o TDP-43 está presente na amígdala e no hipocampo.
  • Estágio 3: O TDP-43 está presente na amígdala, no hipocampo e no giro frontal médio.

Fonte:

https://www.beingpatient.com/late-dementia/

https://www.bbc.com/news/health-48092570

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *