A doença do refluxo gastroesofágico é um distúrbio onde ocorre o retorno involuntário e repetitivo do conteúdo do estômago para o esôfago.

Os alimentos que ingerimos passam pela faringe, pelo esôfago (um tubo que desce pelo tórax na frente da coluna vertebral) e caem no estômago, situado no abdômen. Entre o esôfago e o estômago, existe uma válvula que se abre para dar passagem aos alimentos e se fecha imediatamente para impedir que o suco gástrico penetre no esôfago, pois a mucosa que o reveste não está preparada para receber uma substância tão irritante.

Pode ocorrer em algum momento da vida, episódios de refluxo gastroesofágico, entretanto, se esta condição se tornar persistente, ou seja   ocorrer mais de duas vezes por semana, pode a doença do refluxo gastroesofágico.

Caso o esfíncter da parte superior do estômago não fechar adequadamente, o conteúdo do estômago poderá fluir para cima.

A doença do refluxo gastroesofágico é uma condição em que o ácido estomacal flui persistentemente e regularmente para o esôfago.

O esôfago é um tubo alimentar e transporta alimentos da boca para o estômago.

O ácido estomacal, quando no esôfago pode causar azia e outros sintomas e possíveis danos ao tecido esofagiano.

Causas

O refluxo ácido ocasional é bastante comum, como resultado de comer demais, deitar-se depois de comer ou ingestão de determinados alimentos.

No entanto, o refluxo ácido recorrente, diagnosticado como Doença do Refluxo gastroesofágico, apresenta outras causas e fatores de risco e pode ter complicações mais graves.

A doença do refluxo gastroesofágico ocorre em pessoas de todas as idades e, às vezes, por razões desconhecidas e ocorre quando o esfíncter na parte inferior do esôfago fica fraco ou abre quando não deveria.

As causas mais comuns de Doença do Distúrbio Gastroesofágico são:

  • sobrepeso ou obesidade por causa do aumento da pressão no abdômen;
  • gravidez, devido ao mesmo aumento de pressão abdominal;
  • uso de certos medicamentos, como drogas para asma, anti-histamínicos e antidepressivos.
  • Tabagismo;
  • ingestão de alimentos como café, chá preto, chá mate, chocolate, molho de tomate, comidas ácidas, bebidas alcoólicas e gasosas.
Sintomas

O principal sintoma deste distúrbio é a Azia, mas o portador pode apresentar também náuseas, vômitos, mau hálito, distúrbios respiratórios e dificuldade de deglutição.

Complicações

A doença do refluxo gastroesofágico, pode se agravar e seu portador desenvolver as seguintes complicações:

  • Esofagite : Inflamação no esôfago;
  • Estenose esofágica: Nessa condição, o esôfago fica estreito, dificultando a deglutição.
  • Esôfago de Barrett : as células que revestem o esôfago podem se transformar em células semelhantes às do intestino, aumentando o risco de câncer.
Diagnóstico

Existem vários testes possíveis para diagnosticar a doença do refluxo gastroesofágico, incluindo:

  • Monitoramento de pH e impedância esofágica : mede a quantidade de ácido no esôfago enquanto o corpo está em diferentes estados, como ao comer ou dormir.
  • Endoscópio gastrointestinal superior (GI) : Neste exame um tubo com uma câmera acoplada, é usada para inspecionar o esôfago. Uma pequena amostra de tecido também pode ser colhida ao mesmo tempo para uma biópsia.
  • Série GI superior: é  um raio-X que mostra certas anormalidades físicas que podem causar DRGE (doença do refluxo gastroesofágico).
  • Manometria esofágica: mede as contrações musculares no esôfago durante a deglutição. Pode medir a força do esfíncter.
Tratamento

O tratamento medicamentoso, pode ser feito com medicamentos  inibidores da bomba de prótons, que são uma das principais opções de tratamento, deste agravo.Estas drogas diminuem a quantidade de ácido produzido pelo estômago.

Outras opções incluem:

  • Bloqueadores de H2: Essa é outra opção para ajudar a diminuir a produção de ácido.
  • Antiácidos: Estes neutralizam o ácido no estômago com produtos químicos alcalinos.
  •  Procinéticos: ajudam o estômago a esvaziar mais rapidamente.
  • Cirurgia

Se as mudanças no estilo de vida não melhorarem significativamente os sintomas da DRGE ou os medicamentos não tiverem o efeito desejado, o médico poderá sugerir uma cirurgia.

Os tratamentos cirúrgicos incluem:

  • Fundoplicatura: O cirurgião costura a parte superior do estômago ao redor do esôfago. Isso aumenta a pressão na extremidade inferior do esôfago e geralmente é bem-sucedido na redução do refluxo.
  • Procedimentos endoscópicos: Essa é uma variedade de procedimentos que incluem costura endoscópica.
Prevenção

Mudanças de estilo de vida e comportamento podem ajudar a aliviar no tratamento de DRGE:

  • Consumir quantidades moderadas de alimentos,  evite comer demais;
  • Evite comer 2 a 3 horas antes de dormir;
  • Parar de fumar;
  • Perder peso pode ajudar a prevenir os sintomas.
  • Não usar roupas apertadas ao redor do abdômen.
  • Dormir com a cabeça levemente elevada.
  • Evitar alimentos gordurosos, picantes, chocolates, café e molhos a base de tomate.
  • Fonte:

    BURATI, Daniela O. et al. Doença do refluxo gastroesofágico: análise de 157 pacientes. Rev Bras Otorrinolaringol, v. 69, n. 4, p. 458-62, 2003.

  • GURSKI, Richard Ricachenevsky et al. Manifestações extra-esofágicas da doença do refluxo gastroesofágico. Jornal brasileiro de pneumologia. Brasília. Vol. 32, n. 2 (2006), p. 150-160, 2006.
  • CORSI, Paulo Roberto et al. Presença de refluxo em pacientes com sintomas típicos de doença do refluxo gastroesofágico. Cep, v. 1452, p. 001, 2007.
Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People photo created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *