De acordo com um novo estudo, consumir uma xícara de blueberries (mirtilos) por dia pode melhorar os marcadores metabólicos associados ao risco cardiovascular.

Pesquisadores da Universidade de East Anglia, no Reino Unido, se uniram a cientistas da Universidade de Harvard, em Cambridge para entender, se o consumo regular de blueberries poderia alterar o perfil metabólico de portadores de síndrome metabólica.

A síndrome metabólica descreve um conjunto de condições que incluem hipertensão, excesso de gordura corporal ao redor da cintura, níveis elevados de açúcar no sangue e níveis anormais de colesterol e triglicérides. A união desses fatores aumenta o risco de doença cardiovascular e diabetes tipo II.

Atualmente, a síndrome metabólica afeta mais de 30% dos adultos nos EUA, sendo considerada por alguns especialistas, uma epidemia mundial.

Mirtilos e antocianinas

Estudos anteriores indicaram que consomem mirtilos regularmente têm um risco reduzido de desenvolver condições incluindo diabetes tipo 2 e doença cardiovascular. De acordo com pesquisadores, este fato se dá pois os mirtilos são ricos em compostos naturais chamados antocianinas.

As antocianinas são pigmentos solúveis em água que podem aparecer em alimentos e frutos na cor vermelho, preto, azul ou roxo. Estes flavonóides estão presentes nos tecidos – incluindo os caules, folhas, flores, raízes e frutos – de muitas plantas superiores.

Estudos anteriores revelaram uma relação entre o aumento do consumo de antocianinas e a redução do risco de mortalidade; outros ligaram esses produtos químicos a um risco reduzido de doença cardiovascular.

No entanto, até o momento, grande parte da pesquisa foi realizada em um período relativamente curto. De fato, alguns estudos analisaram o consumo de apenas uma porção de blueberries.

Também não há estudos controlados randomizados que investiguem o potencial dos blueberries para proteger contra doenças em uma população com maior risco de desenvolver diabetes tipo 2 e doenças cardiovasculares.

Teste em pó de mirtilo

Para investigar, a equipe recrutou 115 participantes, com idades entre 50 e 75 anos, todos com sobrepeso ou obesidade e com síndrome metabólica. O estudo durou 6 meses, tornando-se o mais longo deste tipo.

É importante ressaltar que os cientistas usaram “níveis dietéticos alcançáveis” de mirtilos em vez de esperar que os participantes consumissem uma quantidade insustentável e irreal de mirtilos a cada dia.

Eles dividiram os participantes em três grupos:

  • Um grupo consumiu 1 xícara (150 gramas) de mirtilos em pó liofilizados por dia.
  • Outro grupo consumiu meia xícara (75 gramas) de blueberries em pó liofilizadas por dia.
  • O grupo final agiu como um grupo de controle; eles receberam um pó semelhante ao pó de mirtilo, mas que continha principalmente dextrose, maltodextrina e frutose.

No início e no final do estudo, os pesquisadores avaliaram os biomarcadores quanto à resistência insulina, estado lipídico e função vascular. E a descoberta foi publicada recentemente no American Journal of clinical nutrition.

Segundo os pesquisadores foi verificado neste estudo que comer 1 xícara de blueberries por dia resultou em melhorias sustentadas na função vascular e na rigidez arterial – fazendo diferença suficiente para reduzir o risco de doença cardiovascular entre 12 e 15%”.

Curiosamente, os cientistas só viram os benefícios do grupo que consumiu1 xícara de blueberries por dia – não naqueles que consumiram meia xícara.

Blueberry

Explicando os benefícios dos mirtilos

Os cientistas acreditam que os benefícios cardiovasculares observador foram principalmente devido à presença de antocianinas em mirtilos.

No intestino delgado, o corpo metaboliza as antocianinas, para produzir uma variedade de produtos químicos; Alguns desses produtos químicos fornecem sustento às bactérias intestinais residentes e “provavelmente desempenham um importante papel metabólico benéfico”, dizem os autores do estudo.

Alguns pesquisadores demostraram que o ácido syringic, que é um produto químico que o metabolismo da antocianina produz beneficia as células endoteliais vasculares em laboratório.

Da mesma forma, os cientistas descobriram que o ácido vanílico, outro produto da degradação das antocianinas, reduz a pressão arterial em ratos.

Neste ponto, vale a pena mencionar que outros alimentos contêm antocianina, incluindo groselhas negras, framboesas pretas e vermelhas, amoras, repolho roxo, ameixa, rabanete vermelho, cenoura preta e batata roxa.

Embora este projeto tenha sido o primeiro estudo de longo prazo, controlado por placebo, a avaliar os mirtilos e a saúde cardiovascular e metabólica, é importante lembrar que apenas 115 participantes completaram este estudo.

No final, apenas 37 participantes permaneceram no grupo consumindo 1 xícara de blueberries por dia.

Mirtilos são provavelmente uma adição saudável a qualquer dieta, assim como a maioria das outras frutas e vegetais. No entanto, os cientistas precisarão realizar estudos maiores para confirmar os benefícios clínicos dos mirtilos.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/325346.php

Créditos de imagem:

 

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *