Marcapasso é um pequeno dispositivo, que ajuda a controlar ritmos cardíacos anormais e pode ser inserido no peito ou abdome. É um dispositivo que utiliza impulsos elétricos de baixa energia, para o coração bater em um ritmo normal.

Os marcapassos são indicados para tratar arritmias, que são distúrbios relacionados ao ritmo cardíaco. Na arritmia, o coração pode bater muito rápido, muito lento ou com um ritmo irregular.

Os marcapassos são indicados no tratamento dos sintomas de arritmia, como fadiga (cansaço) e síncopes (desmaios).

Existem outros tipos de tratamentos que podem ser indicados para tratar arritmias, como desfibriladores cardioversores  implantáveis (CDIs), que são semelhantes aos marcapassos, que além  de usar impulsos elétricos de baixa energia para controlar os ritmos cardíacos anormais, também podem usar impulsos elétricos de alta energia para tratar arritmias mais graves.

Indicações

São indicados para portadores de arritmias como bradicardias e bloqueio cardíaco.

A bradicardia é caracterizada pela presença de batimento cardíaco mais lento que o normal e bloqueio cardíaco é um problema que ocorre com o sistema elétrico do coração, quando o sinal elétrico é retardado ou interrompido quando se dirige ao pelo coração.

Antes de recomendar um marcapasso, o médico irá identificar a presença de sintomas de arritmia como tontura, desmaios e falta de ar.

Como funciona o marca passo

O marcapasso é composto por uma bateria, um gerador computadorizado e fios com sensores chamados eletrodos em uma extremidade. Os eletrodos detectam a atividade elétrica do coração e enviam dados através dos fios, para o computador no gerador.

Se o ritmo cardíaco estiver anormal, o computador irá direcionar o gerador para enviar pulsos elétricos ao coração. Os impulsos passam através dos fios para chegar ao coração.

Marcapassos de ultima geração, também podem monitorar a temperatura sanguínea, respiração além de ajustar a frequência cardíaca a mudanças em sua atividade.

A inserção de marcapasso requer uma pequena cirurgia, que é realizada em um hospital. A cirurgia leva apenas algumas horas, e a internação dura poucos dias   e  indicada para  que a equipe de saúde possa verificar o batimento cardíaco e garantir que o marcapasso esteja funcionando corretamente.

Complicações da cirurgia de marcapasso são raras. A maioria das pessoas pode retornar às suas atividades normais em poucos dias.

O portador de marca passo deve evitar o contato próximo ou prolongado com dispositivos elétricos ou dispositivos que tenham campos magnéticos fortes. Profissionais de saúde devem ser informados sobre o uso de marcapasso, á fim de evitar certos exames que podem causar danos ao portador.

Fonte:

BERGMANN, Alba Regina Nemer et al. A VIDA POR UM FIO: PERCEPÇÕES SOBRE O IMPLANTE DE MARCA-PASSO CARDÍACO PERMANENTE. Revista Subjetividades, v. 16, n. 1, p. 131-143, 2016.

DE BARROS, Rubens Tofano et al. Avaliação de aspectos da qualidade de vida em pacientes pós-implante de marca-passo cardíaco. Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular/Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery, v. 29, n. 1, p. 37-44, 2014.

ROCHA, Eduardo Arrais et al. Development and validation of predictive models of cardiac mortality and transplantation in resynchronization therapy. Arquivos brasileiros de cardiologia, n. AHEAD, p. 0-0, 2015.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *