Olá pessoal o assunto desta matéria é sobre as alterações que ocorrem em nossa pele, à medida que envelhecemos, bem como os cuidados que devemos ter à fim de evitar que a pele sofra menos danos associados à passagem do tempo.

Em primeiro lugar devemos ter em mente que envelhecer não é uma doença, mas um processo que pode ser acompanhado por uma série de alterações fisiológicas, bem como pelo surgimento de doenças crônico-degenerativas advindas de hábitos de vida inadequados tais como tabagismo, má nutrição, sedentarismo e exposição a agentes nocivos, ou seja, é o acúmulo de eventos biológicos que ocorrem ao longo do tempo e a pele por ser um órgão (isso mesmo a pele é um órgão) de revestimento do nosso corpo demonstra precocemente sinais de envelhecimento.

A pele é uma das primeiras estruturas a se modificar com a idade. Ao envelhecer a renovação da epiderme faz-se mais lentamente, e a derme sofre um adelgaçamento, conferindo a pele uma característica de papel de seda.

O envelhecimento da pele ocorre devido a uma perda importante de elastina, que confere a pele sua tonicidade; a quantidade de colágeno útil diminui e a camada epitelial se torna mais delgada. A perda de elasticidade do tecido subcutâneo é um processo universal e irreversível.

As glândulas sebáceas que produzem o sebo protetor, tornam-se menos ativas e lubrificam menos a pele, que a torna mais seca e quebradiça, as glândulas sudoríparas se atrofiam e modificam o processo de controle de temperatura, corporal pela sudorese.

Com a perda do tecido subcutâneo as proeminências ósseas se tornam mais aparentes principalmente na parte superior do corpo.

Os ossos dos maxilares se acentuam, bem como as maçãs do rosto, e as órbitas oculares afundam-se. O nariz, as orelhas, as pálpebras e a face caem.

As rugas se tornarão cada vez mais frequentes e são decorrentes da perda da elasticidade da pele, diminuição do tecido subcutâneo, exposição a raios solares e consequencias da nutrição.

A pele também irá sofrer hipertrofia das células de pigmentação, dando origem as manchas senis, embranquecimento da pele e palidez devido a perda de capilares e melanócitos (podendo confundir-se com anemia), aparecimento de hiperqueratose seborréica entre outros.

É muito importante na a medida que envelhecemos cuidar da pele, porque este sistema é mais suscetível, à infecções e outra doenças devido às mudanças que ocorrem em decorrência da passagem do tempo.

A medida que envelhecemos ela torna-se menos flexível, mais fina, perde tecido gorduroso, e devido a esses fatores acontece mais a atrofia de glândulas que produzem sebo, fazendo com que ela se torna seca . Ela pode ser ferida mais facilmente e a sua recuperação fica mais lenta.

Como resultado, os idosos são propensos a problemas de pele que variam de prurido, descamação e secura, e que podem ocorrer, também, em condições graves de lesões da pele, tais como infecção e ulcerações. Uma infecção cutânea grave ou não cicatrização de feridas em idosos podem ser muito graves, até mesmo fatais.

“A exposição ao sol é a causa mais comum de pré-cânceres e câncer de pele.” – de acordo com a Skin Cancer Foundation.

Algumas alterações comuns da pele dos idosos

– Púrpura senil – são as manchas arroxeadas que aparecem na maioria das vezes nos braços e pernas devido a magreza da pele e fragilidade dos capilares e vasos sanguíneos na epiderme.

– Dermatite de estase – é mais comum em mulheres idosas do que homens; ela é caracterizada por pele seca e prurido (coceira).

– Dermatite esfoliativa – é uma forma mais grave de dermatite e é caracterizada por descamação excessiva e feridas na pele. É particularmente preocupante nos idosos porque a coceira intensa pode levar a infecções.

– Infecções de pele / infestações – infecções bacterianas e infestação parasitária, tais como escabiose (sarna)

– Crescimentos de lesões em forma de manchas irregulares que devem ser investigadas principalmente se tiverem um formato irregular, à fim de prevenir câncer de pele. O profissional indicado para esses casos é o dermatologista.

– Doenças de pele virais – como herpes zoster.

Para evitar estas situações e agravos seguem alguns cuidados que você deve ter com sua pele:

– Evite banhos quentes e chuveiros frequentes;

– Use sabonetes neutros e aplicar hidratantes para a pele depois de cada banho.

– Tome cuidado extra para evitar o desenvolvimento de úlceras de pressão, especialmente para aqueles que são incontinentes ou acamados. Essas pessoas precisam ser viradas frequentemente para evitar úlceras sensíveis à pressão. E é imperativo que os produtos absorventes e cateteres sejam mudados frequentemente.

Para promover a boa saúde da pele devemos, também:

– Não fumar ou parar de fumar;

– Nunca se expor ao sol sem protetor solar e como o sol é fundamental para o metabolismo de vitamina D procure tomar sol antes das 10 da manhã ou após as 16hs da tarde. Procure protetor solar com um número FPS (fator de proteção solar) de 30 ou superior. É melhor escolher protetores solares com “amplo espectro” no rótulo.

– Coloque o protetor solar em 15 a 30 minutos antes de sair. Protetor solar deve ser reaplicado, pelo menos, a cada 2 horas. Você precisa colocar protetor solar com mais frequência se você estiver nadando, suando, ou esfregando a pele continuamente com uma toalha;

– Manter-se adequadamente hidratado, beber mais líquidos, durante o dia principalmente em dias quentes;

– Use um umidificador de ambiente durante o inverno e em climas secos

– Evite locais quentes e secos, como saunas e locais fechados sem ventilação;

– Usar vestuário de proteção. Um chapéu de aba larga pode proteger seu pescoço, orelhas, olhos e cabeça. Procure óculos escuros que bloqueiam 99 a 100 por cento dos raios do sol.

– Se você tem que estar no sol, usar roupas soltas e leves.

Bem, alguns cuidados e a prevenção poderão ajudar a sua pele a ter um envelhecimento saudável e promover sua qualidade de vida.

Espero que tenham gostado deste post e até a próxima.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *