Uma pesquisa publicada na revista Neurobiology of Aging, revelou que os adultos de meia-idade com sobrepeso que participaram de um estudo, apresentaram redução do volume de substância branca no cérebro, em comparação com indivíduos mais magros.

A equipe de investigação – incluindo o professor responsável pelo estudo Prof. Paul Fletcher, do Departamento de Psiquiatria da Universidade de Cambridge diz que esta redução na substância branca representa uma década de envelhecimento cerebral.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a taxa de obesidade em todo o mundo mais do que duplicou desde 1980. Nos Estados Unidos mais de um terço dos adultos são obesos.

É bem conhecido que a obesidade pode aumentar o risco uma gama de problemas de saúde, incluindo a doença cardiovascular, diabetes do tipo 2, e algumas formas de câncer. No entanto cada vez mais, os pesquisadores estão descobrindo que o excesso de peso também pode ter consequências negativas para o cérebro.

Em particular, alguns estudos têm sugerido que a obesidade pode acelerar o aparecimento e progressão de agravos relacionados ao cérebro, inclusive a diminuição de seu peso e tamanho – é sabido que ocorre redução no volume de substância branca e cinzenta naturalmente à medida que envelhecemos.

No entanto, Dr. Ronan e seus colegas dizem que há uma falta de “provas diretas” para apoiar esta associação.

“Nós estamos vivendo em uma população envelhecida, com níveis crescentes de obesidade, por isso é essencial que nós estabeleçamos como esses dois fatores podem interagir, uma vez que as consequências para a saúde são potencialmente graves”, observa o professor Fletcher.

A fim de saber mais sobre a relação entre peso e encolhimento do cérebro, os pesquisadores realizaram um estudo transversal em que se analisaram os dados de 473 adultos cognitivamente saudáveis ​​com idades entre 20-87.

Com base no índice de massa corporal dos participantes (IMC), 246 indivíduos foram classificados como magros (IMC de 18,5-25), 150 estavam com sobrepeso (IMC de 25-30), e 77 eram obesos (IMC maior que 30).

Os pesquisadores avaliaram o volume cerebral – substância branca e cinzenta dos participantes usando ressonância magnética (MRI).

Em comparação com os indivíduos magros, aqueles que estavam acima do peso ou obesos foram encontrados sinais de redução significativa do volume de substância branca.

Os pesquisadores então analisaram como o volume da substância branca foi associada com a idade e o peso dos indivíduos e eles descobriram que o excesso de peso e obesidade parecia ter o impacto mais negativo sobre o cérebro de adultos de meia-idade.

Os adultos de meia-idade que estavam com sobrepeso ou obesos tinham um volume de substância branca que era comparável aos dos adultos magros 10 anos mais velhos; por exemplo, o volume de substância branca de um adulto de 50 anos com excesso de peso foi o mesmo do que um indivíduo de 60 anos emagrecido. No entanto os autores afirmam que mais estudos devem ser feitos à fim de confirmar este achado.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *