Deficiência auditiva, surdez e perda auditiva referem-se à incapacidade total ou parcial de ouvir sons.

Os sintomas podem ser leves, moderados, graves ou profundos. O portador de deficiência auditiva leve, pode ter problemas para entender a fala, principalmente se houver muito ruído, enquanto aqueles com surdez moderada podem precisar de um aparelho auditivo.

Os portadores de surdez dependem da leitura labial para se comunicar, pois não conseguem ouvir e podem se sentir totalmente dependentes da leitura labial ou da linguagem gestual.

As causas mais comuns de surdez incluem:

  • Caxumba
  • Catapora
  • Citomegalovírus
  • Meningite
  • Anemia falciforme
  • Sífilis
  • Doença de Lyme
  • Diabetes
  • Indivíduos em tratamento para tuberculose
  • Artrite
  • Hipotireoidismo, entre outros.

O ouvido interno é onde se encontram os ossos mais delicados do corpo, e os danos no tímpano ou no ouvido médio podem causar perda auditiva e surdez.

Perda auditiva ou Surdez

Perda auditiva: é uma capacidade reduzida de ouvir sons.

Surdez: é  quando uma pessoa não consegue entender a fala através da audição, mesmo quando o som é amplificado.

Surdez profunda: refere-se a uma total falta de audição. Um indivíduo com surdez profunda é incapaz de detectar o som.

A gravidade da deficiência auditiva é categorizada por quantos volumes mais altos precisam ser ajustados antes que possam detectar um som.

Algumas pessoas definem profundamente surdos e totalmente surdos da mesma maneira, enquanto outros dizem que um diagnóstico de surdez profunda é o fim do espectro auditivo.

Como funciona a audição?

As ondas sonoras entram no ouvido, descem pelo ouvido ou canal auditivo e atingem o tímpano, que vibra. As vibrações do tímpano passam para três ossos conhecidos como ossículos no ouvido médio.

Esses ossículos amplificam as vibrações, que são captadas por pequenas células semelhantes a pelos na cóclea (células ciliadas).

Eles se movem à medida que as vibrações as atingem e os dados do movimento são enviados através do nervo auditivo para o cérebro. O cérebro processa os dados, que uma pessoa com audição funcional interpretará como som.

Tipos

Existem três tipos diferentes de perda auditiva:

1) Perda auditiva condutiva

Isso significa que as vibrações não estão passando do ouvido externo para o ouvido interno, especificamente da cóclea. Esse tipo pode ocorrer por vários motivos, incluindo:

  • Acúmulo excessivo de cera;
  • Infecção no ouvido com a presença de inflamação e acúmulo de líquidos;
  • Tímpano perfurado, ou defeituoso.

As infecções de ouvido podem deixar cicatrizes, que pode reduzir a função do tímpano. Os ossículos podem ficar comprometidos como resultado de infecção, trauma ou fusão em uma condição conhecida como anquilose.

2) Perda auditiva neurossensorial

Causada por disfunção do ouvido interno, cóclea, nervo auditivo ou dano cerebral.

Esse tipo de perda auditiva normalmente ocorre devido a células ciliadas danificadas na cóclea. À medida que envelhecemos, as células ciliadas perdem parte de sua função e a audição se deteriora.

A exposição prolongada a ruídos altos, especialmente sons de alta frequência, é outro motivo comum para danos às células ciliadas. As células ciliadas danificadas não podem ser substituídas.

Surdez neurossensorial total pode ocorrer como resultado de deformidades congênitas, infecções do ouvido interno ou trauma na cabeça.

3) perda auditiva mista

Essa é uma combinação de perda auditiva condutiva e neurossensorial. As infecções de ouvido a longo prazo podem danificar o tímpano e os ossículos. Às vezes, a intervenção cirúrgica pode restaurar a audição, mas nem sempre é eficaz.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *