Saúde mental refere-se ao bem-estar cognitivo, comportamental e emocional. É como as pessoas pensam, sentem e se comportam. Às vezes, utilizamos o termo “saúde mental” para significar a ausência de um distúrbio mental.

A saúde mental pode afetar a vida diária, os relacionamentos e a saúde física.

Cuidar da saúde mental pode nossa a capacidade de promover a qualidade de vida, principalmente nestes tempos de pandemia. Devemos buscar equilíbrio entre as atividades da vida, responsabilidades e esforços para alcançar a resiliência psicológica.

Condições como estresse, depressão e ansiedade podem afetar a saúde mental e perturbar a nossa rotina.

Embora o termo saúde mental seja de uso comum, muitas condições que os profissionais de saúde reconhecem como distúrbios psicológicos têm raízes físicas.

O que é saúde mental?

Os transtornos de saúde mental são uma das principais causas de incapacidade em diversos países.

De acordo com a OMS “Organização Mundial e saúde”.

Saúde mental, é um estado de bem estar em que um indivíduo realiza suas próprias habilidades, pode lidar com o estresse normal da vida, trabalhar produtivamente e é capaz de contribuir com a comunidade.

A OMS enfatiza que a saúde mental é “mais do que apenas a ausência de transtornos ou deficiências mentais”. O pico da saúde mental envolve não apenas evitar condições nocivas, mas também cuidar do bem-estar e da felicidade de forma contínua. Também enfatizam que a preservação e a restauração da saúde mental são cruciais individualmente, assim como em diferentes comunidades e sociedades em todo o mundo.

Fatores de risco para condições de saúde mental

Todos somos suscetíveis ao  de risco de desenvolver um distúrbio de saúde mental, independentemente de idade, sexo, renda ou etnia.

Em grande parte do mundo desenvolvido, os transtornos mentais são uma das maiores causas de doenças incapacitantes.

Circunstâncias sociais e financeiras, fatores biológicos e estilo de vida podem moldar a saúde mental de um indivíduo.

Muitos portadores com distúrbio de saúde mental têm mais de uma condição.

Alguns fatores podem contribuir o desenvolvimento de distúrbios na saúde mental.

Pressão social e econômica contínua

Ter recursos financeiros limitados ou pertencer a um grupo étnico marginalizado ou perseguido pode aumentar o risco de distúrbios de saúde mental.

Fatores modificáveis para ocorrência de transtornos de saúde mental incluem:

  • condições socioeconômicas, como disponibilidade de trabalho na área local
  • ocupação
  • nível de envolvimento social de um indivíduo
  • Educação
  • qualidade da habitação

Fatores não modificáveis incluem:

  • gênero
  • idade
  • etnia

O estudo lista o gênero como um fator modificável e não modificável. Os pesquisadores descobriram que ser mulher aumenta o risco de desenvolver distúrbios de saúde mental em 3,96 vezes.

Pessoas com um “status econômico fraco” também obtiveram a pontuação mais alta em condições de saúde mental de acordo com estudos.

Fatores biológicos

Pesquisadores acreditam que a história genética da família pode aumentar a probabilidade de problemas de saúde mental, pois certos genes e variantes genéticas tornam a pessoa em maior risco.

No entanto, muitos outros fatores contribuem para o desenvolvimento desses distúrbios.

Ter genes relacionados para um distúrbio de saúde mental, como depressão ou esquizofrenia, não garante que a condição se desenvolva. Da mesma forma, pessoas sem genes relacionados ou histórico familiar de doença mental podem ter problemas de saúde mental.

Condições de saúde mental, como estresse, depressão e ansiedade, podem se desenvolver devido a problemas de saúde físicos subjacentes que podem mudar a vida, como câncer, diabetes e dor crônica.

Distúrbios comuns de saúde mental

Os tipos mais comuns de doença mental são os seguintes:

  • transtornos de ansiedade
  • Transtornos de Humor
  • Esquizofrenia
Fonte:

AMARANTE, Paulo. Saúde mental e atenção psicossocial. SciELO-Editora FIOCRUZ, 2007.

DALGALARRONDO, Paulo. Religião, psicopatologia e saúde mental. Artmed Editora, 2009.

BRITO, Maria Luísa da Silva. A saúde mental dos prestadores de cuidados a familiares idosos. 2000.

ALVES, Domingos Sávio. Integralidade nas políticas de saúde mental. Os sentidos da, 2001.

OLIVEIRA, Alice G.; ALESSI, Neiry Primo. O trabalho de enfermagem em saúde mental: contradições e potencialidades atuais. Revista Latino-Americana de Enfermagem, v. 11, n. 3, p. 333-340, 2003.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/people”>People vector created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *