O transtorno bipolar, anteriormente chamado de depressão maníaca, é uma doença mental caracterizada por alternância de dois estados de humor opostos, a mania e a depressão. A mania é marcada por uma euforia intensa, com agitação, aumento de energia e sensação de grandeza, enquanto a depressão cursa com tristeza, apatia, prostração, falta de prazer, dentre outros sintomas.

As oscilações de humor dessa condição podem durar semanas seguidas e causar problemas significativos de trabalho e relacionamento. Essa doença afeta até 5% dos adultos, afetando igualmente homens e mulheres.

Os sintomas depressivos que podem ocorrer no transtorno bipolar são os de qualquer episódio depressivo maior, incluindo tristeza significativa, irritabilidade, desesperança e aumento ou diminuição do apetite, peso ou sono. A depressão bipolar pode resultar em indivíduos que desejam, planejam ou tentam se matar ou matar outra pessoa.

Os sintomas maníacos do transtorno bipolar podem levar o portador a apresentar uma sensação excessiva de bem-estar ou habilidades, pensamentos acelerados, diminuição do sono e fala rápida a ponto de ser difícil de decifrar. Indivíduos maníacos também podem se envolver em atividades imprudentes, como comportamento ou gastos sexuais excessivos.

Para o diagnóstico de transtorno bipolar I, uma pessoa deve experimentar pelo menos um episódio maníaco completo em sua vida. Os indivíduos com transtorno bipolar II experimentam pelo menos um episódio hipomaníaco, pois apresentam sintomas menos graves do que os sintomas totalmente maníacos.

Embora nenhuma causa única de transtorno bipolar tenha sido identificada, há uma série de fatores que contribuem para o desenvolvimento dessa doença. Diminuições na atividade de diferentes partes do cérebro foram observadas, quando indivíduos com transtorno bipolar estão apresentando episódios depressivos ou maníacos.

Os sintomas do transtorno bipolar tendem a ter dois picos no início: entre 15 e 25 e entre 45 e 54 anos de idade. Outros fatores de risco para transtorno bipolar incluem história familiar de depressão ou transtorno bipolar (transtorno do humor) ou histórico familiar de transtorno de abuso de substâncias. Fatores estressantes, como abuso, também podem desencadear o aparecimento de transtorno bipolar.

O transtorno bipolar pode ser tratado com várias classes de medicação, incluindo lítio, anticonvulsivantes, antipsicóticos, antidepressivos e mesmo a eletroconvulsoterapia. Porém, mesmo utilizando-se as mais adequadas estratégias medicamentosas, o curso do transtorno bipolar é, frequentemente, caracterizado por sintomas crônicos e por altos índices de recaídas e internações. Além disso, mesmo com a remissão dos episódios de humor, ainda podem persistir sintomas sub sindrômicos substanciais, principalmente sintomas depressivos, em grande parte dos pacientes.

Créditos de imagem:

<a href=’https://www.freepik.com/photos/woman’>Woman photo created by dashu83 – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *