A hipocalcemia, é uma doença caracterizada pela deficiência de cálcio, e ocorre quando os níveis de cálcio no sangue estão baixos. Uma deficiência a longo prazo pode levar a alterações dentárias, catarata, alterações mentais e osteoporose.

O cálcio é um elemento químico alcalino terroso com o símbolo Ca e número atômico 20. É um mineral importante no corpo humano e 99% do cálcio do nosso corpo se encontram nos dentes e nos ossos, no sangue e nos músculos. A presença deste mineral abundante é vital ao funcionamento apropriado do corpo humano.

Complicações da hipocalcemia podem ser fatais, e se a condição não for tratada, pode levar à morte.

Sinais e sintomas

Dores musculares, câimbras e espasmos são os primeiros sinais de deficiência de cálcio, pode ocorrer dor nas coxas e nos braços, particularmente nas axilas, ao caminhar ou se movimentar.

A deficiência de cálcio também pode causar dormência e formigamento nas mãos, braços, pés, pernas e ao redor da boca.

Essas sensações podem indicar uma deficiência mais grave.

Esses sintomas podem ir e vir, mas não desaparecem com a atividade.

O portador desta doença pode se queixar de fadiga extrema, bem como sonolência, ou insônia, letargia, tontura, falta de foco, esquecimento e confusão.

Os sintomas na pele incluem pele seca e prurido, áreas avermelhadas e algumas vezes a presença de bolhas.

A deficiência de cálcio pode fazer com que as unhas fiquem secas, e quebradiças. Também pode contribuir para a alopecia, uma condição que faz com que caia o cabelo e apareçam manchas redondas no local da queda.

A deficiência de cálcio pode levar a Osteopenia e osteoporose. Na osteopenia há uma redução da densidade mineral dos ossos e pode levar à osteoporose que é uma doença que torna os ossos mais finos porosos e suscetíveis a fratura.  Pode causar dor, problemas com postura e incapacidade.

Embora a osteopenia seja menos grave que a osteoporose, ambas causam diminuição da densidade óssea e aumento do risco de fraturas.

Os ossos armazenam cálcio, mas exigem altos níveis para permanecerem saudáveis. Quando os níveis séricos de cálcio (no sangue) são baixos, o corpo pode desviá-lo dos ossos para o sangue, tornando os ossos frágeis e propensos a lesões.

Quando o corpo não tem cálcio suficiente, ele o retira de fontes de armazenamento como os dentes. Isso pode levar a problemas dentários, como  raízes fracas, gengivas irritadas, dentes frágeis e cárie dentária.
A deficiência de cálcio em crianças pode retardar a formação dos dentes.

Causas

As causas da deficiência de cálcio, incluem deficiência de vitamina D, hipoparatireoidismo, doença renal, problemas genéticos, hipomagnesemia, síndrome de Falconi e distúrbios da tireoide.

Grupos de ricos para deficiência em cálcio

Idosos

Adolescentes

Pessoas obesas

Complicações decorrentes da deficiência de cálcio

Convulsões, depressão, perda de dentes, lesões de pela, dor articular crônica, fraturas e incapacidade

Tratamento e Prevenção

Alimentos ricos em cálcio podem ajudar a reduzir a deficiência de cálcio.

Para prevenir deficiência de cálcio indica-se a introdução de cálcio a dieta.

Alguns alimentos ricos em cálcio incluem:

Produtos lácteos, como leite, queijo e iogurte. Feijões. Figos, brócolis, tofu, leite de soja, espinafre, cereais fortificados, nozes e sementes, como amêndoas e sementes de gergelim

A quantidade diária recomendada de cálcio na dieta é de 1.000 mg para pessoas com idade entre 19 e 50 anos, enquanto crianças, adolescentes e idosos  recomendam-se 1200 mg.

Não se recomenda usar cálcio sem prescrição médica, somente um profissional especializado pode avaliar o grau de deficiência de cálcio de um indivíduo.

Caso a deficiência de cálcio seja grave, ou quando suplementos e ajustes dietéticos não estão alcançando resultados, pode ser indicadas injeções de cálcio.

Fonte:

BUZINARO, Elizabeth F.; ALMEIDA, Renata N.; MAZETO, Glaucia Maria Ferreira da Silva. Biodisponibilidade do cálcio dietético. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia, p. 852-861, 2006.

BARBOSA, Cristiane Rickli; ANDREAZZI, Marcia Aparecida. Intolerância à lactose e suas consequências no metabolismo do cálcio. Revista Saúde e Pesquisa, v. 4, n. 1, p. 81-86, 2011.

BUENO, Aline Lopes; CZEPIELEWSKI, Mauro Antonio. A importância do consumo dietético de cálcio e vitamina D no crescimento. Jornal de pediatria. Rio de Janeiro. Vol. 84, n. 5,(Set. 2008), p. 386-394, 2008.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/food”>Food vector created by macrovector – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *