Às vezes, você gostaria de sair para desfrutar do ar livre, ou talvez apenas fazer uma pausa, para tomar um pouco de ar fresco. Mas quando a alergia faz a sua garganta arranhar, ou você, começa a espirrar e a lacrimejar, fica difícil desfrutar deste momento. Infelizmente, cada processo alérgico é desencadeado por elementos externos e muito desses elementos, se escondem dentro de nossas próprias casas.

Aprender a reconhecer os alérgenos comuns e descobrir maneiras de lidar com os seus efeitos colaterais, pode nos ajudar a ter uma melhor qualidade de vida.

Então vamos lá, segue a lista dos 5 alérgenos mais comuns:

A Ambrósia: Conhecida pela forma irregular de suas folhas a ambrósia é a planta com maior poder alérgeno – éuma erva daninha tenaz. Uma única planta, pode produzir um milhão de grãos de pólen, em um único dia e um bilhão de grãos durante o seu período de crescimento. E este pólen se espalha rapidamente. Esta planta pode causar um tipo de alergia muito grave, conhecida como polinose (geralmente se manifesta com crises de rinoconjuntivite ou de asma, que apresentam características em sua ocorrência, durante o período de floração das plantas da qual a pessoa é sensível. Entre nós essas crises ocorrem durante a floração das gramíneas, dos arbustos ou das árvores, período em que os polens são liberados pelas flores. A característica dessas alergias é sua periodicidade anual, os sintomas repetem-se durante a mesma época do ano, quando ocorre a polinização). O fator causador da alergia são os grãos de pólens de plantas alergógenas que entram no nariz e pulmões, produzindo reação alérgica inflamatória. Em geral os polens são leves e levados pelos ventos a grandes distâncias. Seu pólen é disperso pelo vento e pode ser encontrado a vários quilômetros de distancia da planta de origem.

Os Ácaros: eles são os primos feios da aranha, criaturas microscópicas e a principal fonte de alergia durante todo o ano. Os pesquisadores estimam que 20 milhões de americanos sofram de alergia a ácaros. Perfeitamente adaptados para a temperatura e a umidade de uma casa, os ácaros sobrevivem com os pequenos flocos de pele que todos nós soltamos a cada dia. Um adulto normalmente solta pele suficiente diariamente para alimentar um milhão de ácaros.

Um único ácaro da poeira pode produzir tanto quanto 200 vezes o seu peso corporal em resíduos e são estes resíduos que irão provocar reações alérgicas, no ser humano. Quartos de dormir são os principais repositórios de ácaros em uma casa. Sendo assim, para reduzir os efeitos de ácaros em sua residência seguem algumas dicas:

Cubra travesseiros e camas com protetores de colchão e travesseiros à prova de poeira;

Lavar as roupas de cama com água quente sempre que possível;

Reduzir e / ou eliminar os objetos “coletores de pó”, como brinquedos de pelúcia, cortinas, edredons e carpetes.

Equipar aspirador de pó com filtros especiais. Um pesquisador sugere aspirar um colchão de solteiro por 20 minutos regularmente para reduzir os ácaros ocultos.

Animais de estimação: Embora muitas pessoas, com alergias a animais de estimação, pensem que os pelos dos animais são os culpados pelo processo alérgico, se enganam – não são. Os pesquisadores descobriram que os alérgenos são proteínas secretadas por glândulas de óleo na pele do animal de estimação e que se depositam no pelo. Proteínas na saliva e da urina também são alérgenos potentes. Os gatos tendem a causar reações alérgicas mais do que os cães, pois se lambem constantemente e ficam mais presos em casa do que os cães. As proteínas presentes na urina de roedores de estimação, tais como porcos-da-índia, murganhos, ratos, também pode causar reações alérgicas.

Mofo: O mofo, também é um grande vilão causador de alergia. Mofos são fungos, que se reproduzem pela liberação de esporos na atmosfera. Enquanto alergia a mofo é mais comum no meio do verão, pois ela é desencadeada por fungos que crescem sobre troncos apodrecidos, folhas que caem, entre outros. Alguns tipos de mofo crescem dentro de banheiros, cozinhas e porões. Das 80.000 espécies de fungos, quatro tipos estão particularmente envolvidos em alergias. OsAspergillus crescem em matérias orgânicas em decomposição, nos solos, poeiras, roupas, condicionadores de ar, umidificadores… com um pico reprodutivo no outono e no inverno. Estes são os mais perigosos. O calor, a umidade e a ausência de ventilação favorecem seu desenvolvimento. Os Alternaria também são irritantes. Estes fungos ao ar livre prosperam durante o verão, na palha e nos detritos, mas se instalam também no interior das casas, no couro, nos têxteis ou em alimentos. OsPenicillium não devem ser negligenciados. Eles se desenvolvem o ano todo, em materiais ou vegetais em decomposição, bem como os Cladosporium que se fixam nas plantas, sobretudo no verão.

Para reduzir o desconforto de alergias ao mofo podemos tomar os seguintes cuidados:

Em áreas externas usar uma máscara ao entardecer, quando for cortar gramas ou varrer folhas caídas.

No banheiro substituir tapetes úmidos e lavar banheiras e telhas, pelo menos mensalmente com uma solução de água sanitária (1 tampa diluída em um litro de água).

Em porões, manter a umidade baixa, elevando a temperatura e utilizando um desumidificador.

Na cozinha limpar as juntas da geladeira e panelas , lavar e higienizar latas de lixo regularmente.

As gramíneas: Muitos fatores afetam a dispersão do pólen das gramíneas, incluindo os meteorológicos esta dispersão aumenta em dias ensolarados, com ventos e temperaturas elevadas, e são menores em dias de elevada umidade ou chuva. Apesar das flores vistosas que atraem insetos para poliniza-las, as gramíneas contam com o vento para espalhar seu pólen. Das 1.200 ou mais espécies de gramíneas em regiões tropicais, apenas 20 podem produzir reações alérgicas. As mais comuns são:

  • O azevém
  • A grama bermuda
  • A grama Bahia
  • Aveia branca
  • Milho
  • Trigo

Árvores: Em relação as árvores , das varias espécies no Brasil, aproximadamente 100 tem poder alérgeno, entre elas estão a Faia, o Cedro japonês, o cedro vermelho , o pinho (eucalipto), Ligustrum japônico, oliveira e acácia.

Durante a temporada de polinização destas árvores, mantenha as janelas fechadas. A maioria das pessoas é alérgica a uma única espécie, mas as pessoas podem ser alérgicas a vários membros de certas famílias.

Sendo assim, não se esqueçam a alergia, é uma reação inesperada do sistema imunológico, contra algumas substâncias, que comumente não fariam mal ao ser humano, como o pólen ou pelos de animais. Este distúrbio geralmente tem uma característica hereditária herdada dos pais, por isso é fundamental, identificar, quais elementos desencadeia o processo alérgico, e isso só pode ser feito através da consulta com um especialista médico denominado alergologista, ele é o profissional habilitado para lhe ajudar a tratar deste agravo.

Espero que tenham gostado do post e até a próxima.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *