Os nódulos de tireoide têm alta prevalência na população, sendo o câncer dessa glândula a neoplasia endócrina mais comum.

O Câncer Medular da Tireoide (CMT) é um tipo raro de câncer de tireoide, que corresponde a 5% a 10% de todos os cânceres tireóideos, podendo ocorrer sob a forma esporádica (75% dos casos) ou familiar (25% dos casos). É um tumor maligno que acomete as células parafoliculares, ou células C. Essas células C liberam um hormônio denominado calcitonina, que controla os níveis de cálcio no sangue.

O primeiro sinal deste agravo é o aparecimento de um nódulo indolor no pescoço. Se detectado precocemente, esse câncer geralmente é tratável.

A tireoide é uma glândula em forma de borboleta localizada na base do pescoço, abaixo do pomo de Adão.

Ao contrário de outros tipos de câncer de tireoide, o Câncer Medular da Tireoide pode ter origem genética. Quando uma pessoa herda o CTM de um dos pais, é considerado câncer medular da tireoide familiar.

No entanto, cerca de 75% dos casos de CMT são esporádicos, o que significa que o indivíduo com a doença não a herdou dos pais.

Sinais precoces

Como o CTM tende a se desenvolver lentamente, nos estágios iniciais da doença geralmente não apresenta sintomas. Por esse motivo, o diagnóstico precoce deste agravo não é comum.

Quando os sintomas aparecem, eles geralmente se apresentam como nódulo indolor no pescoço ou na garganta. Esse nódulo corresponde à massa cancerígena de células que cresce dentro da tireoide.

Sintomas comuns

Inchaço no pescoço perto da glândula tireoide, que corresponde a linfonodos aumentados.

Tosse, às vezes com sangue.

Dificuldade em engolir, às vezes com dor.

Falta de ar.

Dificuldade em respirar, devido ao estreitamento das vias aéreas.

Se a condição progredir, os sintomas podem se tornar mais graves e podem ser observados outros sinais, entre eles:

Grande massa no pescoço.

Dor no pescoço, mandíbula ou ouvido.

Sensação de asfixia.

Indivíduos cujo câncer que se espalhou para os nervos que controlam as cordas vocais também podem apresentar rouquidão e alterações na voz.

Nos estágios avançados do CTM, altos níveis de calcitonina produzida pelo tumor podem causar diarreia e rubor.

No entanto, nem todos os nódulos do pescoço são câncer. Muitas outras condições menos graves podem causar um caroço no pescoço, como linfonodos inchados.

Créditos de imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/technology”>Technology photo created by peoplecreations – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *