Muitos de nós imaginamos que nossos lares sejam castelos ou apartamentos – nossos refúgios seguros, um lugar onde podemos relaxar e simplesmente descontrair das pressões do mundo exterior. Mas, na realidade, devemos estar atentos aos perigos potenciais que podem estar presentes dentro de quatro paredes.

Esses perigos podem ser aparentes, como produtos automotivos armazenados na garagem ou no porão, pesticidas em um galpão, medicamentos prescritos no armário de remédios ou produtos de limpeza debaixo da  pia. Alguns podem ser muito mais difíceis de rastrear, como gás de cozinha,  monóxido de carbono, mofo e produtos químicos à base de água. Outros ainda podem estar esperando por nós quando entramos em contato pela primeira vez – coisas como tinta com chumbo, e produtos com amianto.

Mais importante ainda, essas ameaças podem ser ainda mais perigosas para aqueles indivíduos mais vulneráveis a sua exposição: recém-nascidos, crianças, idosos e enfermos. E apesar do fato de vivermos na era da informação, o número de incidentes de envenenamento com consequências graves aumenta a cada ano.

Conhecendo o perigo

Gás radônio

Trata-se de um gás invisível, insípido, inodoro e mortal, que entra nos ambientes confinados (casas e edifícios) através de fissuras, rachaduras, buracos, canos da fundação, ralos e água de poço. Isto porque a principal fonte de contaminação de gás radônio em um ambiente confinado é o próprio solo sobre qual o imóvel foi construído. Como o radônio se desenvolve no subsolo, ele costuma entrar em edifícios por meio do porão, em rachaduras na fundação de um edifício e em outras aberturas, como bombas de depósito e drenos. Na verdade, estudos revelaram que as concentrações de radônio no mesmo edifício serão menores em andares superiores.

A inalação prolongada de radônio tem sido associada a vários tipos de câncer, mas principalmente ao câncer de pulmão. Portanto, a melhor defesa é a detecção precoce

Água da torneira

Algumas cidades antigas, ainda com infraestruturas desatualizadas que podem sugar metais pesados ​​como chumbo e outros produtos químicos potencialmente perigosos da água potável. A mesma regra se aplica a casas mais antigas, onde os encanamentos podem estar desatualizados e perigosos.

Existem até mesmo perigos para os proprietários que obtêm água de poços particulares ou compartilhados, que são suscetíveis a gases de ocorrência natural, como o radônio, ou contaminação por outros perigos, como fertilizantes, vazamentos de aterros ou contaminação por petróleo.

Felizmente, existem vários tratamentos disponíveis de água para quem suspeita que a água da torneira pode não ser segura. Primeiro, faça com que várias amostras de água sejam analisadas por um laboratório confiável (e considere fazê-lo regularmente, como a cada dois anos). Em seguida, dependendo das necessidades, pode-se optar por um filtro de água para toda a casa, um filtro montado na torneira, um filtro autônomo ou apenas comprar água engarrafada (deixando a água da torneira para chuveiros, lavanderias e lavatórios).

Mofo

O mofo que encontramos em pães envelhecidos ou frutas maduras demais é fácil de detectar e evitar. Este fungo cresce nos cantos invisíveis do banheiro, no porão ou em espaços pequenos pode ser consideravelmente mais difícil de detectar – e consideravelmente mais perigoso. O mofo pode causar uma série de doenças físicas, desde leves (coriza, espirros, coceira nos olhos) além de  mais graves (erupções cutâneas, asma e infecções respiratórias).

E, como esses organismos microscópicos podem crescer em qualquer lugar, eles prevalecem em muitas casas. Com mais de 1.000 tipos de fungos identificados nos lares americanos EUA, é um problema que não pode ser ignorado.

Para evitar surtos de mofo, é preciso entender que esses esporos adoram espaços escuros e úmidos (esporos de mofo no ar são muito mais resistentes a ambientes secos).

Eletrodomésticos

Os eletrodomésticos, independente do tamanho, são produtos indispensáveis em nosso dia a dia, quando estão em funcionamento, mas isso pode ser um grande erro, principalmente quando são antigos.

Aparelhos mais antigos (especialmente geladeiras e aparelhos de ar condicionado) podem sobrecarregar muito as caixas elétricas e fiação desatualizados, o que pode causar incêndios. Certifique-se de que a fiação e a caixa elétrica tenham capacidade suficiente. Da mesma forma, as secadoras de roupas podem ser uma bomba-relógio, se as telas de fiapos e aberturas não forem limpas regularmente.

Além disso, aparelhos grandes antigos – geladeiras e freezers em particular – podem desenvolver vazamentos de freon. Mesmo aparelhos menores que tenham correntes elétricas, como torradeiras, podem ser perigosos se não forem usados ​​com cuidado e bom senso. (Por exemplo, sempre desligue uma torradeira antes de pegar um pedaço perdido de pão ou bolinho com um garfo). Outros aparelhos pequenos mais antigos, como secadores de cabelo de mão, também podem conter amianto.

Monóxido de carbono

Indivíduos que aquecem as casas com gás natural, propano ou óleo, ou que cozinham com fogões a gás, o monóxido de carbono é um perigo sempre presente. Outro gás inodoro e incolor, o monóxido de carbono, é extremamente perigoso e pode matar rapidamente. O risco, não surpreendentemente, é ainda mais prevalente durante os meses de inverno. Certifique-se de que todas as aberturas de aquecimento e cozimento estejam devidamente desobstruídas.

Mesmo os produtos químicos em toras ou blocos de madeira processada podem emitir monóxido de carbono. Certifique-se de que a sua lareira/churrasqueira está devidamente ventilada.

Em caso de suspeita de exposição a envenenamento por monóxido de carbono reconhecer os sintomas pode salvar vidas (os sinais incluem tontura, dor de cabeça e náusea).

Perigo na cozinha

Embora todas as ameaças domésticas devam ser levadas a sério, talvez nenhuma esteja mais facilmente disponível ou mais facilmente evitável do que os produtos químicos em produtos de limpeza. Não se deixe enganar pela embalagem bonita. Uma rápida olhada nas etiquetas de advertência é o suficiente para provar que esses produtos podem causar danos e ser potencialmente fatais.

Infelizmente as crianças menores de 6 anos são as maiores vítimas deste tipo de substâncias. Estudos referem que 90% das intoxicações causadas por produtos de limpeza ocorram no ambiente doméstico.

Se você tem crianças em casa ( seus netos) , certifique-se de ter travas de segurança para crianças em todas as portas do armário. Melhor ainda, considere manter esses produtos longe delas, armazenando-os no porão, garagem ou abrigo ao ar livre. Esteja ciente também de produtos domésticos de uso diário que contêm produtos químicos e compostos perigosos.

Medicamentos

Abaixo da pia não é a única zona de perigo em seu banheiro. Assim como os produtos de limpeza, medicamentos, produtos de saúde e higiene pessoal podem ser um campo minado. Pesquisas referem que  três das cinco principais substâncias mais frequentemente envolvidas em chamadas por intoxicação foram 11,5%,  cosméticos / produtos de cuidados pessoais 7,7% e sedativos / hipnóticos / antipsicóticos 6%.

Produtos aparentemente benignos, como protetores solares, protetores labiais, cremes de barbear e hidratantes, podem conter a oxibenzona, que tem sido associada a distúrbios hormonais e bebês com baixo peso ao nascer, ou parabenos, um conservante sintético suspeito de causar câncer em animais. Até mesmo o creme dental com flúor pode ser considerado um risco à saúde se ingerido.

Os medicamentos prescritos ainda são uma grande preocupação, sejam tomados acidentalmente ou sub-repticiamente. Se você costuma guardar medicamentos em seu banheiro, busque formas de garantir que esses produtos não sejam usados ​​de forma abusiva ou caiam nas mãos erradas.

Crédito de imagem:

<a href=’https://www.freepik.com/photos/house’>House photo created by freepik – www.freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *