A perda auditiva pode afetar a capacidade de fala, dependendo de quando ocorre. Portadores de deficiência auditiva, principalmente as mais graves podem ter dificuldade na fala, devido a perda da referência auditiva. Neste post iremos apresentar os tipos de surdez que se relacionam com a fala.

Surdez pré lingual

É uma incapacidade de ouvir total ou parcialmente antes de aprender a pronunciar ou entender a fala.

Um indivíduo com surdez pré lingual nasce com uma deformidade congênita ou perdeu a audição durante a infância.

Na maioria dos casos, indivíduos com surdez pré-lingual têm pais e irmãos ouvintes. Muitos também nascem em famílias que ainda não conheciam a linguagem de sinais. Consequentemente, também tendem a ter um desenvolvimento lento da linguagem. 

Se as crianças com surdez pré lingual recebem implantes cocleares antes dos 4 anos de idade, poderão desenvolver a linguagem oral com sucesso.

A linguagem oral e a capacidade de usar pistas sociais estão intimamente relacionadas. É por isso que crianças com perda auditiva, especialmente aquelas com sintomas graves, podem não apenas experimentar um atraso no desenvolvimento da linguagem, mas também um desenvolvimento social mais lento.

Como resultado, crianças com surdez pré-lingual correm o risco de se isolar socialmente, a menos que frequentem uma escola que tenha um departamento de necessidades especiais bem administrado com outras crianças que têm a mesma condição.

Crianças que se identificam com uma “subcultura surda”, ou aquelas que aprenderam a usar a linguagem de sinais, podem se sentir menos isoladas. No entanto, alguns jovens podem experimentar isolamento, se os pais ainda não aprenderem a linguagem de sinais.

Existem casos de crianças com surdez profunda que se encontram à margem do círculo social de seus colegas ouvintes, embora não sejam totalmente aceitas por colegas com surdez total, devido à falta de fluência na linguagem de sinais.

Surdez pós lingual

A maioria dos portadores de perda auditiva tem surdez pós-lingual. Eles adquiriram a linguagem falada antes da audição diminuir. Pode ser devido a efeito colateral da medicação, trauma, infecção, doença ou envelhecimento.

Na maioria dos portadores de surdez pós-lingual, a perda auditiva começa gradualmente.

Os membros da família, amigos e professores podem perceber o problema antes de reconhecerem a deficiência. Dependendo da gravidade da perda auditiva, o portador pode ter que usar aparelhos auditivos, receber um implante coclear ou aprender a ler os lábios.

Indivíduos que sofrem de perda auditiva, enfrentam desafios diferentes, dependendo de quando ela ocorre e de quanto tempo leva para se desenvolver. Talvez precisem se familiarizar com o novo equipamento, ser operado, aprender a linguagem de sinais e leitura labial e usar vários dispositivos de comunicação.

Um sentimento de isolamento é um problema comum, que às vezes pode levar à depressão e à solidão. O portador de perda auditiva pós-lingual também precisa enfrentar o processo muitas vezes angustiante de aceitar uma deficiência. A condição também pode representar um desafio para os membros da família, entes queridos e amigos íntimos, que precisam se adaptar à perda auditiva.

A falta de comunicação pode prejudicar os relacionamentos, não apenas para a pessoa com deficiência auditiva, mas também para as pessoas ao seu redor. Se a perda auditiva for gradual e ainda não tiver sido diagnosticada, os familiares podem erroneamente acreditar que o indivíduo com a condição está se tornando mais distante.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *