À medida que envelhecemos irão ocorrer alterações em vários locais de nosso corpo, e um desses locais é o cérebro que encolhe em média 20%, no entanto cientista do Hospital Geral de Massachusetts chamaram de “super idosos”, indivíduos com idade avançada que apresentam memória e habilidade de pensamento comparáveis a indivíduos jovens, e que estes indivíduos não apresentam diminuição nas regiões do cérebro, relacionadas à memória.

Algumas áreas específicas do cérebro diminuem com a idade, principalmente o córtex pré-frontal e o hipocampo (faz parte do sistema límbico e se localiza acima do tronco cerebral e abaixo do córtex, essa área é responsável pela formação da memória episódica de curto prazo e novo aprendizado).

A diminuição destas áreas do cérebro causam um declínio na capacidade individual em aprender coisas novas, recuperar informações e diminuição da capacidade em realizar tarefas que exigem atenção, aprendizagem e memória.

Um estudo publicado no The Journal of Neuroscience oferece pistas sobre por que algumas pessoas – denominadas “super idosos” – mantem essas habilidades de memória resiliente e o pensamento jovem, elas preservam as áreas do cérebro que estão ligadas a essas habilidades.

Bradford Dickerson, M. D., diretor da Unidade de Transtornos Frontotemporal no Massachusetts General Hospital (MGH) Departamento de Neurologia, e Lisa Feldman Barrett, Ph.D., M.G.H. Departamento de Psiquiatria – são os autores deste estudo – que teve como objetivo investigar as ações do super-envelhecimento em indivíduos maduros e o diferencial em relação a outros indivíduos da mesma idade, que apresentaram características esperadas de deterioração da memória.

A equipe de MGH acompanhou 40 idosos entre 70 a 80 anos e 41 adultos jovens entre 18 e 35 anos. Foi observado que 23 dos participantes mais velhos apresentaram resultados normais dos testes para a sua faixa etária, no entanto 17 dos participantes idosos superaram-se nos testes cognitivos com respostas compatíveis a indivíduos mais jovens.

Os pesquisadores responsáveis pelo estudo, submeteram estes indivíduos a exames de imagem cerebral, destes 17 indivíduos, que revelou, que o córtex pré-frontal e hipocampo (áreas que normalmente encolhem com a idade) foram similares em tamanho aos dos adultos jovens que participaram do estudo.

Nenhuma diminuição foi observada em áreas relacionadas à capacidade de memória e linguagem, que comumente se encontra diminuídas em idosos.

Os cientistas afirmam que é necessário entender como alguns idosos são capazes de manter a função cognitiva intacta na sétima, oitava e nona e década de vida. Pois isso pode fornecer pistas importantes sobre como prevenir o declínio da memória e pensamento que acompanha o envelhecimento na maioria dos indivíduos idosos.

Espero que tenham gostado deste post, e até a próxima.

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *