Um fator importante na manutenção da  saúde celular são os telômeros,  que protegem as cadeias de material genético de nossas células.

À medida que os telômeros se encurtam, o material genético começa a se deteriorar, e isso envia um sinal de que a célula está envelhecendo e iniciando o processo de morte celular.

Existe uma enzima a telomerase que ajuda a manter o comprimento dos telômeros, mas, à medida que envelhecemos, a telomerase se torna muito menos ativa, o que afeta o envelhecimento celular.

Recentemente, pesquisadores da Universidade de Leipzig, na Alemanha, em colaboração com colegas de outras instituições de pesquisa, observaram se diferentes tipos de exercícios físicos podem retardar processos de envelhecimento biológico.

Para isso a equipe estudou o comprimento dos telômeros e a atividade da telomerase em participantes de três tipos de exercícios como, exercícios de resistência, treinamento intervalado de alta intensidade e treinamento de resistência.

Exercício de resistência é destinado a ajudar uma pessoa a melhorar sua resistência, e inclui atividades como corrida, natação e ciclismo. O exercício intervalado de alta intensidade é similar, mas requer que o praticante se submeta a períodos de treinamento intenso, seguidos de descanso e recuperação, e depois treino intenso novamente.

Por fim, o treinamento de resistência – ou força – que tem como objetivo aumentar a força física do particante e envolve atividades como levantamento de peso.

Os pesquisadores publicaram suas descobertas  no European Heart Journal . Neste estudo foram recrutados 266 participantes jovens e saudáveis,  que não tinham estilos de vida ativos.

Os investigadores dividiram aleatoriamente os participantes do estudo em quatro grupos, da seguinte forma:

  • Um grupo que teve que fazer treinamento de resistência, o que envolveu correr.
  • Outro grupo que realizou treinamento intervalado de alta intensidade, que envolveu sessões que incorporaram exercícios de aquecimento, seguidos por quatro ciclos de corrida de alta intensidade alternados com corrida lenta e um período de descanso para terminar.
  • Outras participantes realizaram treinamento de resistência, envolvendo exercícios com aparelhos, incluindo extensões nas costas, flexões, remo sentado, flexões e extensões de pernas sentadas, pressões torácicas sentadas e leg press deitado.
  • E o ultimo grupo permaneceu com estilos de vida sedentários, agindo como o grupo de controle.

O período de intervenção foi de seis meses, e os participantes que estavam testando vários tipos de treinamento tiveram que passar por três sessões de 45 minutos de exercícios semanalmente. Do total inicial de participantes, 124 conseguiram concluir o estudo.

A fim de verificar que tipo de treinamento foi o mais eficaz na manutenção do envelhecimento saudável, os pesquisadores coletaram amostras de sangue dos participantes, uma vez no início do estudo, e novamente 2 a 7 dias após a última sessão de treinamento no final do estudo.

Observando o tamanho dos telômeros e a atividade da telomerase nos glóbulos brancos dos participantes, os pesquisadores descobriram que  indivíduos que haviam se engajado em treinamento de resistência e treinamento intervalado de alta intensidade apresentaram mais benefícios.

O principal achado do estudo é que, comparado ao início do estudo e do grupo controle, em voluntários que realizaram treinamento de resistência e de alta intensidade, a atividade telomerase e o comprimento dos telômeros aumentaram, ambos importantes para o bom envelhecimento celular, capacidade regenerativa e envelhecimento.

A  atividade da telomerase aumentou de duas a três vezes em pessoas que fizeram treinamento de resistência e de alta intensidade.

Pode ajudar a projetar estudos futuros sobre este tópico importante usando o comprimento dos telômeros como [um] indicador de ‘idade biológica’ em futuros estudos de intervenção”, acrescenta.

Os dados apresentados apóiam as recomendações atuais da European Society of Cardiology de que o exercício de resistência deve ser complementar ao treinamento de endurance em vez de um substituto.

Os resultados identificam a atividade da telomerase e o comprimento dos telômeros como maneiras sensíveis de medir a nível celular os efeitos de diferentes formas de exercício. O uso dessas medidas para orientar as recomendações de treinamento para indivíduos pode melhorar tanto a adesão quanto a eficácia de programas de treinamento físico na prevenção de doenças cardiovasculares.

Quanto ao motivo pelo qual esses tipos de treinamento podem ter esse efeito benéfico na saúde celular, os pesquisadores sugerem que podem afetar os níveis de óxido nítrico – a presença de radicais livres no sangue, afeta a função dos vasos sanguíneos e a circulação influenciando potencialmente os processos de envelhecimento á nível celular.

Fonte:

https://www.medicalnewstoday.com/articles/323850.php

Créditos imagem:

<a href=”https://www.freepik.com/free-photos-vectors/health”>Health image created by Rawpixel.com – Freepik.com</a>

Deixe seu recado

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *